Saturday, 8 November 2008

Viagem ao mundo do sonho

Perguntaram-me hoje se eu nunca sonhava. Uma questão curiosa tanto mais que penso que quem me fez a pergunta acredita que eu não sou capaz de sonhar. Só quem não me conhece ou quem nunca passou por este lugar pode fazer tal pergunta. A maioria das pessoas que me conhece realmente costuma dizer me que eu vivo no mundo dos sonhos e preciso, isso sim, de assentar os pés nesta terra tão maltratada. Esta pergunta deixou me inquieta... Será que já não distingo o sonho da fantasia? O sonho é algo que almejamos e pela qual lutamos, acreditando sempre que é possível concretizá-lo. O sonho é possível, a fantasia não. O sonho faz-nos crescer, a fantasia pode matar-nos. Eu posso sonhar com um amor total, completo e sei que um sentimento assim pode ser partilhado, mesmo que jamais venha a encontrar algu'em com quem partilhar tal sentimento. Mas eu não posso fantasiar um amor. A fantasia é (pode ser ) bonita mas é algo que transcende a realidade e que jamais pode ser concretizada. Se eu me entregar ao mundo da fantasia e tratar essa fantasia como um sonho possível, corro o risco de ir morrendo aos poucos por querer viver o que não posso ser, por querer ter o que não posso ter.

O sonho que nos alimenta não precisa ser secreto enquanto as fantasias têm muitas vezes de ser ocultadas dos outros.

Quanto à questão que me foi colocada, a resposta é simples : Sim, sonho e muito. Sonho com um sentimento de partilha total, sem segredos...

Sonho com um mundo solidário, em que as tristezas dos outros não nos deixem indiferentes, sonho com locais longínquos, que gostava de visitar, sonho com com cores, que procuro recriar com pincéis, com sons e músicas que me transportam para lugares diferentes, que me acalmam quando estou stressada, sonho com passeios à beira mar de mãos dadas com o meu amor, com brincadeiras de crianças sorridentes, que gosto de partilhar, com o meu jardim cheio de flores de cores variads, com o sol brilhando em dias de chuva, com palavras de amor sussuradas ...

Será que respondi à questão? Quanto às fantasias, deixo-as para outro post...

No comments: